Conheça a I.Systems, a empresa que revoluciona o processo industrial por meio da inteligência artificial

Grão, 15 de abril de 2021

Os três sócios fundadores da I.Systems, Igor Santiago, Danilo Halla e Ronaldo Silva, se conheceram ainda na faculdade, no curso de Engenharia de Computação da Unicamp. Mais tarde, quando os três trabalhavam juntos em um Instituto de Pesquisa em Campinas, eles visualizaram oportunidades em uma área promissora da inovação e decidiram criar o próprio negócio: uma empresa que aplica inteligência artificial na indústria.

Até aquele momento, nenhum dos três tinham pisado nem sequer uma vez em uma indústria, mas um dia a primeira oportunidade apareceu: eles conseguiram marcar uma reunião com o gerente de uma engarrafadora da Coca-Cola. Na ocasião, ele explicou que era impossível acertar a quantidade exata de líquido que entrava na garrafa e, assim, em um recipiente de dois litros sempre ia um pouco mais de produto, o que gerava um enorme desperdício. O desafio estava lançado, e os três engenheiros começaram a desenvolver uma solução que fosse capaz de resolver o problema.

O processo de desenvolvimento levou quatro anos e, em 2010, eles lançaram o primeiro produto, um software industrial baseado em inteligência artificial (IA) chamado Leaf. O Leaf basicamente consegue dizer às máquinas o que elas têm de fazer, permitindo que haja tanto um aumento de produção como uma economia de recursos industriais, como energia ou insumos. Desta forma, a I.Systems foi capaz de sanar o problema da engarrafadora, permitindo que as máquinas acertassem, finalmente, a quantidade exata de produto em cada garrafa.

“A Grão tem um perfil bem ativo, eles vão além do investimento, fazem introduções a clientes, discutem a estratégia, participam mesmo. Isso acaba fazendo toda a diferença” – Igor Santiago, cofundador da I.Systems

Rapidamente, a inovação proposta se provou valiosa em outros processos industriais, como siderurgia, metalurgia, produção de cimentos, químico e agronegócio. Tanto que, em 2013 veio o primeiro aporte, que permitiu que a empresa se tornasse um negócio sólido e rentável. Após este investimento, a quantidade de grandes clientes industriais atendidos pela companhia cresceu significativamente, atraindo empresas como Votorantim, Raízen e Braskem.

Em 2018, a empresa recebeu um outro aporte, que permitiu que um segundo software, focado em demandas industriais, fosse desenvolvido e lançado: o Flowe. Ele é capaz de controlar a velocidade dos equipamentos, evitando paradas. Por meio de um avançado processo de machine learning, o sistema coleta e trata os dados de linhas de produção, aprende com padrões e encontra a melhor solução para evitar paradas na produção, tudo sem interferência humana, gerando aumento de produtividade.

Atualmente, a I.Systems está desenvolvendo mais dois softwares que usam Inteligência Artificial para ajudar empresas em sua jornada rumo à Indústria 4.0: um que organizará o planejamento produtivo diário da fábrica e outro de previsão de demanda, que será capaz de fornecer dados sobre o futuro, permitindo um controle maior sobre a demanda dos produtos. Igor acredita que com este portfólio completo a empresa conseguirá transitar em todas as etapas da indústria, do planejamento e da execução industrial.

Quando nos conhecemos

A Grão investiu na I.Systems em parceria com a Provence Capital em agosto de 2018.  A empresa estava passando por uma fase de recapitalização durante a qual os investidores antigos estavam saindo e novos estavam entrando. Além do investimento, a Grão desempenhou um papel importante no fechamento de um contrato com uma empresa de grande porte, com a qual a I.Systems já estava em fase de negociação há um tempo. Para Igor o relacionamento com a Grão tem sido de muita troca, “a Grão tem um perfil bem ativo, eles vão além do investimento, fazem introduções a clientes, discutem a estratégia, participam mesmo. Isso acaba fazendo toda a diferença”, afirma ele.